#1 Por que existe tanta água na região?

Início da área da Bacia do Rio das Pedras, próximo a Polícia Rodoviária Federal, na BR 277, distrito do Guará, em Guarapuava. Foto: Cléber Moletta/Rádio Cultura FM Guarapuava.

O município tem áreas ainda preservadas que reservam grandes estoques naturais de água.

Ouça a reportagem

Você pode conhecer como banhado, até considerar a área feia ou inútil, pois nela não se pode ‘produzir’ nada. Mas, essas áreas úmidas são os reservatórios naturais de água que vão garantir a vazão do rio no período de seca.

As zonas de turfeiras, que o pessoal conhece como banhado, as várzeas, elas são as caixas d’água, está armazenando água, tanto é que você vai pisar e afunda. Essa água é essencial para circulação dos nossos rios, explica o professor e pesquisador da Unicentro, Maurício Camargo Filho.

A imagem é de uma área que reserva água (veja o mapa completo de toda bacia). É uma das maiores e todos que passam pela rodovia BR 277 podem vê-la. Fica bem próxima da Unidade Operacional da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Captura de tela da turfeira localizada às margens da BR 277, próximo da Unidade Operacional da Polícia Rodoviária Federal. Créditos imagem Google.
Captura de tela da turfeira localizada às margens da BR 277, próximo da Unidade Operacional da Polícia Rodoviária Federal. Créditos imagem Google.

Destruir essas áreas significa eliminar um reservatório natural de água que garante o abastecimento público da cidade atualmente.

Clique aqui e aqui para conhecer pesquisas e saber mais sobre esse tipo de área.

Maurício, que há duas décadas se dedica a pesquisar e ensinar sobre a área, lembra que a região não produz água, somente armazena. Segundo ele, as chuvas chegam por dois sistemas atmosféricos: no Verão e Primavera elas chegam da Amazônia e Pantanal, no Outono e Inverno do Sul, junto com as frentes frias.

Temos uma combinação de solo pouco profundo, com uma rocha impermeável, um volume de água grande e áreas ainda preservadas de mata e turfeiras, ressalta Maurício.

Esse é um dos fatores que contribuem para disponibilidade de água que abastece Guarapuava. Mesmo durante uma seca muito intensa que iniciou em 2019, Guarapuava não teve problemas de abastecimento.

Existe um cenário de escassez que vem ocorrendo desde julho de 2019, há precipitações muito baixas e isso tem afetado os três setores a energia, o saneamento e a agricultura em diferentes escalas e impactos, afirma o hidrólogo do Simepar e pesquisador Arlan Scortegagna.

# BÔNUS:

MUDANÇAS CLIMÁTICAS?

Ouça o hidrólogo Arlan Scortegagna sobre a relação entre mudanças climáticas e a disponibilidade hídricas nos rios do Paraná.

Confira as outras reportagens da série Rio das Pedras: nossa água de cada dia.

Algo errado? Comunique pelo email: pauta@culturacatolica.com.br

A Rádio Cultura produz conteúdos jornalísticos de qualidade na região de Guarapuava. Algumas dessas histórias você acompanha aqui ou em centralcultura.com.br

A Rádio Cultura produz conteúdos jornalísticos de qualidade na região de Guarapuava. Algumas dessas histórias você acompanha aqui ou em centralcultura.com.br